Vouzela,  17 de Outubro de 2018 | Director: Lino Vinhal

Cambra festejou 135 anos da sua Banda

3 de Outubro 2018

Nascida em 1883, a Filarmónica Verdi Cambrense assinalou, no passado domingo, 30 de Setembro, o seu 135º aniversário. Com esta idade, está mais fresca que nunca, porque se revitaliza de ano para ano, honrando o passado mas sempre a pensar no futuro. Aliás, a entrada em palco, neste concerto de 2018, de mais cinco novos elementos, com pouco mais de dez anos cada um deles, é a semente que prolonga a sua longevidade e a renova. Começando as actividades religiosas e as homenagens póstumas pela manhã, alimentado o corpo com um bom almoço e convívio, a tarde foi de grande festa.

Eram quase dezasseis horas, quando a Banda Musical de S. Martinho de Mancelos, Amarante, entrou no recinto da Sede da Filarmónica Verdi Cambrense, em desfile, até encontrar a anfitriã, iniciando-se, de imediato, as respectivas apresentações, primeiro a solo e, por fim, com uma peça tocada em conjunto.

Seria, porém, no palco, já no interior das instalações, que se viveriam os melhores momentos, em dois monumentais concertos, dando-se o primeiro lugar, na ordem da apresentação, à Banda convidada, a de Mancelos, dirigida pelo Maestro Nuno Penetro, seguindo-se a Filarmónica da casa, liderada pelo Maestro Rodolfo Maia. Com uma sala cheia, apinhada de gente, ninguém, praticamente, arredou pé e ali esteve durante mais de duas horas a ouvir música de altíssima qualidade, de parte a parte.

Curioso foi ainda o facto de, no concerto de Cambra, se ter tocado, em estreia absoluta, a peça “First”, uma oferta do seu compositor, o jovem minhoto de 17 anos, Eduardo Lima, que quis assistir a este bom momento simbólico, recebendo efusivos aplausos.

Estes momentos foram ainda aproveitados para se homenagearem as executantes com 25 anos de dedicação à Filarmónica, uma das boas reviravoltas que estas instituições tiveram, que foi a de acolherem jovens meninas no seu seio, com tão bons frutos como se viu.

Como forma de registar os factos mais relevantes, acontecidos desde 2008, ano em que se pulicou a Monografia, foram distribuídos os “Ecos da Verdi”, um novo boletim informativo. Com a Junta de Freguesia ali presente na pessoa de seu presidente, António Silva, a Câmara Municipal de Vouzela fez-se representar, de manhã, pela Vereadora Carla Maia, e nos concertos pelo Presidente Rui Ladeira, também ele um cambrense.

CR