Vouzela,  13 de Dezembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Bloco de Esquerda quer acabar com as portagens na A23, A24 e A25

19 de Novembro 2019

O Bloco de Esquerda (BE) quer acabar com as portagens nas auto-estradas A23, A24 e A25, tendo o seu grupo parlamentar apresentado na Assembleia da República dois projectos de resolução nesse sentido.

“Estas auto-estradas foram feitas para ligar o interior e ser um esforço de coesão territorial e, era por isso, que não tinham portagens. Passaram a ter portagens e passaram a fazer o contrário daquilo que faziam, que era apoiar quem vive no interior, quem tem menos acessos a transportes públicos colectivos, infelizmente”, lamentou a coordenadora do BE, Catarina Martins.

A responsável disse que o partido não é indiferente à “enorme injustiça de quem vive no interior estar a pagar portagens quando não tem outras alternativas de transporte”, esclarecendo que o que o Bloco propõe que se volte ao modelo que existia, sem custos para o utilizador, “protegendo assim as populações do interior fazendo um trabalho de coesão territorial”.

Para Catarina Martins, este é também o tempo de rever as parcerias público-privadas (PPP) rodoviárias, que considera “absolutamente lesivas para os cofres públicos”. “A introdução de portagens não melhorou nada, apenas agravou a situação com as PPP rodoviárias”, sublinhou.

Nos projectos apresentados no Parlamento, o BE sublinha que estas auto-estradas, mesmo com cobrança de portagens, continuarão a “apresentar um saldo bastante negativo”, pois “os encargos com as Parcerias Público-Privadas rodoviárias representam 70% do total dos encargos com todas as PPP’s – rodoviárias, ferroviárias, saúde e segurança” e, só nestas quatro áreas, as PPP’s representarão “encargos líquidos de 1.682 milhões de euros (0,8% do PIB)” em 2019.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com